terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Palavras de ordem para uma vida melhor!


Tô me afastando de tudo que me atrasa, me engana, me segura e me retém.
Tô me aproximando de tudo que me faz completa, me faz feliz e que me quer bem.
Tô aproveitando tudo de bom que essa nossa vida tem.
Tô me dedicando de verdade pra agradar um outro alguém.
Tô trazendo pra perto de mim quem eu gosto e quem gosta de mim também.
Ultimamente eu só tô querendo ver o "bom" que todo mundo tem.
Relaxa, respira, se irritar é bom pra quem?
Supera, suporta, entenda: isento de problemas eu não conheço ninguém.
Queira viver, viver melhor, viver sorrindo e até os cem.
Tô feliz, to despreocupada, com a vida eu to de bem.

Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Comer Rezar Amar

Tudo que eu precisava agora!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! (já que o que eu "precisava agora", foi-se)

Todas as frases importantes no meu Moleskine (até com isso não consigo esquecer...)

- Dolce far niente
- A ruína é o caminho que leva à transformação
-  "- Eu queria que tudo fosse fácil, eramos felizes quando tudo era fácil."
   "- Não preciso que seja fácil, mas não aguento nada tão difícil."
- Volte a acreditar no amor
- Deus vive dentro de mim como eu mesma
- da(s) cicatriz(es): "O único modo de cicatrizar é confiar!"
- O sofrimento quer dizer que você tentou.
- O amor da medo, é perigoso...
- Às vezes perder o equilíbrio por amor é parte de uma vida equilibrada.

Ganesh: o removerdor de obstáculos!!!!

Física da procura

Se você tiver coragem de deixar tudo o que lhe é familiar e conhecido desde sua casa até seus antigos ressentimentos para partir numa jornada em busca da verdade interna ou externa, e se dispuser a encarar tudo o que lhe for acontecer como uma  pista e aceitar todos que cruzam seu caminho como um mestre e se estiver preparado, acima de tudo para aceitar e perdoar realidades duras sobre si mesmo, então a verdade não lhe será negada.

sábado, 23 de abril de 2011

Coisas de bêbada

Eu só queria colocar aqui p não correr o risco se perder... isso é perfeito... O problema é qdo achamos que é verdadeiro, mas não é... aí o tombo é gde...
Mas sobrevivo mais uma vez... calejada!!!

"Não é raro, tropeço e caio. Ás vezes, tombo feio de ralar o coração. Claro que dói mas tem uma coisa: a minha fé continua em pé. Tudo que é verdadeiro, volta."

Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Coisinhas da semana (que ainda está na metade)

"Nossos planos fracassaram porque não tinham objetivo. Quando um homem não sabe a que porto deseja chegar, nenhum vento e o vento certo."


Desconhecido


 
'Olha, fique em silêncio. Eu gosto do teu silêncio. Mas também gosto de tuas palavras - acredite. Mas não vim aqui para te falar de ruídos - ou não - , estou aqui para te falar de céu, mar, estrelas e tapioca - como naquele dia, lembra? - Ontem por incrível que pareça todos os lugares que pisei eu te procurei. Teus rastros ficaram por lá. O balançar de teus cabelos e esse teu jeito meio atacado de ser. Fiquei feliz em poder sentir tua falta, - a falta mostra o quão necessitamos de algo/alguém. É assim o nosso ciclo. Eu te preciso. Perto, longe, tanto faz. Preciso saber que tu está bem, se respira, se comeu ou tomou banho - com o calor que está fazendo neste verão, tome pelo menos uns três ao dia, e pense em mim, estou com calor também. Me faz bem pensar nessas atividades corriqueiras, que supostamente você está fazendo. Ah, e eu estou te esperando, com meu vestido curto, óculos escuros grandes e meu coração pulsando forte, e te abraçar até sentir o mundo girar apenas para nós. É, eu gosto muito de ti. '


Caio F de Abreu

quinta-feira, 31 de março de 2011

Era para eu estar feliz, mas não estou...
Algo errado, muito errado.
Comigo??
Deve ser...
Só pode...
Ou não...
I don't know and I don't care!
(mentira)

quarta-feira, 30 de março de 2011

E pensar que poderia ser assim...

... linhas tortas??? Acho que é por elas que anda a minha vida....



"sorte no jogo, azar no amor,
 de que me vale sorte no amor se o amor é um jogo
 e o jogo não é meu forte, meu amor”
 
Paulo Leminski

domingo, 27 de março de 2011

Mais uma dele

"Então eu te disse que o que me doíam essas esperas, esses chamados que não vinham e quando vinham sempre e nunca traziam nem a palavra e às vezes nem a pessoa exatas. E que eu me recriminava por estar sempre esperando que nada fosse como eu esperava, ainda que soubesse.”

Caio Fernando Abreu



PS: Mas desta vez, o "ele", é o Caio...
PS2: Quem espera sempre CANSA... fato!!!!

quarta-feira, 23 de março de 2011

Segunda opção

Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de vento.




Érico Veríssimo

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

"Mais uma vez"

Lembrei desta música hoje, quando estavamos falando do Oscar de melhor música. Foi num Oscar, há, se não me engano, 2 anos, que a ouvi pela primeira vez, e já adorei. Quando vi o filme....
Adorei a música, a trilha toda e AMEI o filme... A cena desta música então....
Mas ela não está mais no You Tube... então, só assistindo.
E tô mesmo com muita vontade de assistir uns muitos filmes, tomando vinho (se bem que isto já estou fazendo) e comendo pipoca (ou talvez uns queijinhos... hehe)

Filme: Once (Apenas uma vez)
Música: Falling Slowly (Glen Hansard and Marketa Irglova)



Apaixonando Lentamente
Não te conheço
Mas te quero
Ainda mais por isso
As palavras me escapam
E sempre me enganam
E fico sem reação
E jogos que nã osão mais do que parecem
Irão se encerrar sozinhos
Refrão:
Suba neste barco naufragante e guie-o pra casa
Ainda temos tempo
Eleve sua voz esperançosa você pôde escolher
Você fez sua escolha agora
Se apaixonado aos poucos, olhos que me conhecem
E não posso voltar atrás
Estados de espírito que me tomam e me apagam
E me deixam deprimido
Você já sofreu bastante
E brigou com si mesma
É hora de você ganhar de novo
Refrão:
Suba neste barco naufragante e guie-o pra casa
Ainda temos tempo
Eleve sua voz esperançosa você pôde escolher
Você fez sua escolha agora
Suba neste barco naufragante e guie-o pra casa
Ainda temos tempo
Eleve sua voz esperançosa você pôde escolher
Você fez sua escolha agora
Se apaixonando aos poucos cante sua canção
Que te acompanharei...
Se apaixonando aos poucos
Cante sua canção
Que já estamos cantando


Falling Slowly
I don't know you
But I want youAll the more for that
Words fall through me
And always fool me
And I can't react
And games that never amount
To more than they're meant
Will play themselves out
(Chorus:)
Take this sinking boat and point it home
We've still got time
Raise your hopeful voice you have a choice
You've made it now
Falling slowly, eyes that know me
And I can't go back
Moods that take me and erase me
And I'm painted black
You have suffered enough
And warred with yourself
It's time that you won
(Chorus:)
Take this sinking boat and point it home
We've still got time
Raise your hopeful voice you had a choice
You've made it now
Take this sinking boat and point it home
We've still got time
Raise your hopeful voice you had a choice
You've made it now
Falling slowly sing your melody
I'll sing along
Falling slowly
Sing your melody
I'll sing it now

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

DELÍCIA


É só o que eu posso dizer do meu fds!!!!
Até as "brigas" são boas... rs
Comidinhas, cervejinhas, sambinha, muitas risadas e a melhor companhia do mundo... o que mais eu quero??

Mas quase no final aconteceu uma coisa estranha, que me deixou mais estranha, nervosa, com medo... Aí um telefonema e pronto, derreteu tudo.
Só ficou aquele carinho que me invadiu de uma forma que eu nem sei explicar, dissipou tudo...
Me senti acolhida, protegida... aí...
Só consegui pensar nisso, nele...

Descobri que te amo demais
Descobri em você minha paz
Descobri sem querer a vida
Verdade!...


Obrigada!!!!!!!!!!

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

E que venha 2011 (e que venha rápido)


* Paloma de la Paz - Picasso



(E ele já veio!!!!! Pq p variar isso vem pra cá com um certo atraso...rsrsrs)

Nossa, difícil falar deste ano... MUITO difícil!!!

Foi um ano contubadíssimo....

No começo perdi muita coisa:

- Minha vozinha

- Um relacionamento longo e com ele muitos dos meus sonhos

- Um emprego

- Alguns problemas de saúde na família

Tudo praticamente junto, desmontei de uma forma que nunca tinha desmontato.

Mas aí, como já não tinha emprego mesmo, resolvi meter as caras e fazer o que sempre quis, e descobri que queria mesmo. E pela primeira vez, acordo cedo pra p0rr@ pra ir trabalhar de bom humor, sem aquela vontade de não sair nunca mais da cama.

Logo depois uma pessoa maravilhosa, se torna ainda mais maravilhosa e começa a fazer parte da minha vida por completo, se tornando cada dia mais e mais especial.


Descobri que as coisas ruins só vieram pra eu conseguir dar uma guinada na minha vida, encerrar ciclos, iniciar a escrever minha história numa folha em branco.... E agora escrever a história do meu jeito!!!

Claro q nem tudo são flores:

- Profissional: Não tenho a remuneração que queria, mas tenho o reconhecimento que sempre quis, e a perspectiva de crescimento, coisa que em nenhum lugar eu conseguia ver. Além de gostar muito do que faço.

- Pessoal: embora muito feliz, isso gerou uma "segregação". Com isso "perdi" algumas pessoas que estavam fazendo parte da minha vida. Mas ao mesmo tempo tive certeza da amizade de todos os que ficaram, como são queridos e importantes na minha vida. Os que "foram", só o tempo dirá se voltarão!!!!!

Só o primeiro fato, que, infelizmente não tenho o que fazer, só rezar e sentir saudades!!!!!

E o último que estamos correndo atrás, e com fé de que tudo dará certo!!!

Mas num balanço geral, fecho 2010 com saldo positivo, embora querendo desesperadamente que ele acabe... rs

Semana passada me foi perguntado como havia sido meu ano e eu respondi isso: conturbado, mas o saldo final foi positivo. E ele me respondeu: então se for igual a este tá bom???

E eu respondi mais do que depressa: NÃO!
Mais um ano deste meu pobre coraçãozinho num guenta!!!!!

Para 2011 quero e desejo PAZ!!! (pois sei que 2010 não foi uma zona só p mim!!)

Que role um up na carreira, que eu continue feliz como estou hoje, que as pessoas queridas estejam sempre por perto... acho que já tá bom!!!!

UM EXCELENTE 2011 PARA TODOS!!!!!!!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Epifania!!!!!

Pequenas epifanias
(Caio Fernando Abreu - 22.4.1986)

Há alguns dias, Deus - ou isso que chamamos assim, tão descuidadamente, de Deus - enviou-me certo presente ambíguo: uma possibilidade de amor. Ou disso que chamamos, também com descuido e alguma pressa, de amor. E você sabe a que me refiro. Antes que pudesse me assustar e, depois do susto, hesitar entre ir ou não ir, querer ou não querer - eu já estava lá dentro. E estar dentro daquilo era bom. Não me entenda mal - não aconteceu qualquer intimidade dessas que você certamente imagina. Na verdade, não aconteceu quase nada. Dois ou três almoços, uns
silêncios. Fragmentos disso que chamamos, com aquele mesmo descuido, de "minha vida". De repente cruzadas ali, por puro mistério, sobre as toalhas brancas e os copos de vinho ou água, entre casquinhas de pão e cinzeiros cheios que os garçons rapidamente esvaziaram para que nos sentíssemos limpos. E nos sentíamos. Por trás do que acontecia, eu redescobri magias sem susto algum. E de repente me sentia protegido, você sabe como: a vida toda, esses pedacinhos desconexos se armavam de outro jeito, fazendo sentido. Nada de mau me aconteceria, tinha certeza, enquanto estivesse dentro do campo magnético daquela outra pessoa. Os olhos da
outra pessoa me olhavam e me reconheciam como outra pessoa, e suavemente faziam perguntas, investigavam terrenos: ah você não come açúcar, ah você não bebe uísque, ah você é do signo de Libra. Traçando esboços, os dois. Tateando traços difusos, vagas promessas.
Nunca mais sair do centro daquele espaço para as duras ruas anônimas. Nunca mais sair daquele colo quente que é ter uma face para outra pessoa que também tem uma face para você, no meio da tralha desimportante e sem rosto de cada dia atravancando o coração. Mas no quatro, quinto dia, um trecho obsessivo do conto de Clarice Lispector - Tentação - na cabeça estonteada de encanto: "Mas ambos estavam comprometidos. Ele, com sua natureza aprisionada. Ela, com sua infância impossível.". Cito de memória, não sei se correto. Fala no encontro de uma menina ruiva, sentada num degrau às três da tarde, com um cão bassê, também ruivo, que passa acorrentado. Ela pára. Os dois se olham. Cintilam, prometidos. A dona o puxa. Ele se vai. E, nada acontece. De mais a mais, eu não queria. Seria preciso forjar climas, insinuar convites, servir vinhos, acender velas, fazer caras. Para talvez ouvir não. A não ser que soprasse tanto vento que velejasse por si. Não velejou. Além disso, sem perceber, eu estava
dentro da aprendizagem solitária do não-pedir. Só compreendi dias depois, quando um amigo me falou - descuidado, também - em pequenas epifanias. Miudinhas, quase pífias revelações de Deus feito jóias, encravadas no dia-a-dia.
Era isso - aquela outra vida inesperadamente misturada à minha, olhando a minha opaca vida com os mesmos olhos atentos com que eu a olhava: uma pequena epifania. Em seguida vieram o tempo, a distância, a poeira soprando. Mas eu trouxe de lá a memória de qualquer coisa macia que tem me alimentado nestes dias seguintes de ausência e fome. Sobretudo à noite, aos domingos. Recuperei um jeito de fumar olhando para trás das janela, vendo o que ninguém mais veria. Atrás das janelas, retomo esse momento de mel e sangue que Deus colocou tão rápido, e com tanta delicadeza, frente aos meus olhos há tanto tempo incapazes de ver uma possibilidade de amor. Curvo a cabeça, agradecido. E se estendo a mão, no meio da poeira de dentro de mim, posso também tocar em outra coisa. Essa pequena epifania. Com corpo e face. Que recomponho devagar, traço a traço, quando estou
só e tenho medo. Sorrio, então. E quase paro de sentir fome.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

FLAGRANTES DE MULHER - I

Um dos momentos mais simples, delicados e bonitos de uma mulher é aquele instante em que a sandália fica suspensa entre o pé e o ar, quase caindo mesmo, em um equilíbrio milagroso da distração feminina. A visão perfeita dos dedos e da curvatura da sola do pezinho. Meu Deus do céu. Nada mais sexy e sedutor para quem sabe apreciar tamanha delicadeza.

Xico Sá

Só falta um solzinho bem gostoso para tornar a cena real, e felizes os amantes das delicadezas femininas.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Sem crise

É assim que quero, que eu sou, e que quero perto de mim (as vezes não dá, mas ok!! rs)



Lema
Ney Matogrosso

(Carlos Rennó E Lokua Kanza)

(Ioba iê)

Não vou lamentar
a mudança que o tempo traz, não
o que já ficou para trás
e o tempo a passar sem parar jamais
já fui novo, sim
de novo, não
ser novo pra mim é algo velho
quero crescer
quero viver o que é novo, sim
o que eu quero assim
é ser velho.

Envelhecer
certamente com a mente sã
me renovando
dia a dia, a cada manhã

Tendo prazer
me mantendo com o corpo são
eis o meu lema
meu emblema, eis o meu refrão

Mas não vou dar fim
jamais ao menino em mim
e nem dar de, não mais me maravilhar
diante do mar e do céu da vida
e ser todo ser, e reviver
a cada clamor de amor e sexo
perto de ser um Deus
e certo de ser mortal
de ser animal
e ser homem

Tendo prazer
me mantendo com o corpo são
eis o meu lema
meu emblema, eis o meu refrão

Eis o meu lema
meu emblema, eis minha oração
Eis o meu lema
meu emblema, eis minha oração

(Ioba iê)

sábado, 18 de setembro de 2010

[após um roubo motivado pela fome]
"...Mas Rudy Steiner não pode resistir a um sorriso. Em anos vindouros ele seria um doador de pão, não um ladrão - mais uma prova de como o ser humano é contraditório. Um punhado de bem, um punhado de mal. É só misturar com água."

A menina que roubava livros - Markus Zusak


domingo, 5 de setembro de 2010

Amizade, palavra, respeito, caráter, bondade alegria e amor




Bola de Meia, Bola de Gude
Composição: Milton Nascimento
14-Bis

Há um menino
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto balança
Ele vem pra me dar a mão

Há um passado no meu presente
Um sol bem quente lá no meu quintal
Toda vez que a bruxa me assombra
O menino me dá a mão

E me fala de coisas bonitas
Que eu acredito
Que não deixarão de existir
Amizade, palavra, respeito
Caráter, bondade alegria e amor
Pois não posso
Não devo
Não quero
Viver como toda essa gente
Insiste em viver
E não posso aceitar sossegado
Qualquer sacanagem ser coisa normal

Bola de meia, bola de gude
O solidário não quer solidão
Toda vez que a tristeza me alcança
O menino me dá a mão
Há um menino
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto fraqueja
Ele vem pra me dar a mão

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Dançar idem...

O Menino Que Carregava Água Na Peneira
Manoel de Barros

Tenho um livro sobre águas e meninos.
Gostei mais de um menino
que carregava água na peneira.

A mãe disse que carregar água na peneira
era o mesmo que roubar um vento e sair
correndo com ele para mostrar aos irmãos.

A mãe disse que era o mesmo que
catar espinhos na água
O mesmo que criar peixes no bolso.

O menino era ligado em despropósitos.
Quis montar os alicerces de uma casa sobre orvalhos.
A mãe reparou que o menino
gostava mais do vazio
do que do cheio.
Falava que os vazios são maiores
e até infinitos.

Com o tempo aquele menino
que era cismado e esquisito
porque gostava de carregar água na peneira

Com o tempo descobriu que escrever seria
o mesmo que carregar água na peneira.

No escrever o menino viu
que era capaz de ser
noviça, monge ou mendigo
ao mesmo tempo.

O menino aprendeu a usar as palavras.
Viu que podia fazer peraltagens com as palavras.
E começou a fazer peraltagens.

Foi capaz de interromper o vôo de um pássaro
botando ponto final na frase.

Foi capaz de modificar a tarde botando uma chuva nela.

O menino fazia prodígios.
Até fez uma pedra dar flor!
A mãe reparava o menino com ternura.

A mãe falou:
Meu filho você vai ser poeta.
Você vai carregar água na peneira a vida toda.

Você vai encher os
vazios com as suas
peraltagens
e algumas pessoas
vão te amar por seus
despropósitos.

domingo, 8 de agosto de 2010

Efeito Musical!!!!



Afff... tta coisa acontecendo ultimamente, que nem deu p escrever nada por aqui, mas uma coisa eu não poderia deixar de colocar aqui....







sábado, 24 de julho de 2010

Tempos de Paz


Primeiro: Ai como eu queria ter visto isso no teatro... e aqui em Sampa foi no Municipal... mas ok! Sem lástimas pelo que passou (frase muito usada ultimamente)

Agora, estou escrevendo aqui pq não consegui ter meus minutos e silêncio pós filme, que sempre preciso. Conversar sobre, muito menos, então falo aqui, comigo mesma.

Impressionadíssima com o Tiny Ramos e (muitíssimo) com a Dan Stulbach. Ele é simplesmente fantástico.
O filme conta uma história de um diálogo entre o chefe da imigração (Tony) e um imigrante Polonês (Dan).
Dando início aos tempos de paz, o ex torturador de presos resolve pegar um imigrante Polonês, que chega dizendo que é agricuktos, falando Portugês e sem bagagem, como seu útimo caso.
O oficial propõe ao imigrante um trato: se ele o fizesse chorar poderia ficar no Brasil, caso contrário, seria colocado de volta no navio.
Aí começam as melhores cenas do filme.
Vale (muito) pelas atuações!!!!

E mais uma vez (salve o Peixe Urbano... rs... e pra quem não conhece, é só clicar aqui http://www.peixeurbano.com.br/convite/1AKL)

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Mulheres...

Para dar uma animada neste posts, este vídeo incrível... morri de rir!!! Tenho certeza que eu era assim... mas acho que já passou... kkkkkkkkkkkkk

video